quarta-feira, fevereiro 28

UMA TARDE PARA SER LEMBRADA – 24 de novembro de 2018, por Eduardo Berger

9
834

O “Festival” foi impecável, desde o bom gosto do cardápio até o exemplar serviço do pessoal do buffet, tudo isso num ambiente muito acolhedor!

Os 34 colegas presentes, mais esposas e filhos, formaram um grupo de 56 felizes e agradecidos participantes. E muitos vieram de longe!

CLARA veio de Brasilia; LOBO e VERA com os filhos RUY eTHAÍS. de Londrina; BETA e filha VALENTINE, de Itanhaem e do Rio de Janeiro; PEDRO ORTOLANI e ANGÉLICA de Capivari; NORAGI e EVA, de Assis; ANANIA e SÍLVIA, de Jundiaí; MURILO e LUCIANA, de Varginha; VERANI e CINIRA, de Piracicaba; FLÁVIO, de S J dos Campos .

E de São Paulo e Grande São Paulo: ALZIRA e MARCOS; ALCIDES e NILDA; PEREIRINHA e SÔNIA; TAKANORI e MARIA; WATANABE e TAMIKO; FRANCISCO e DAYSE; BLANDY e STELA;  PAULO SZELES e DIVA; MACEDO e CYBEL; CURY e ADRIANA; NESE e HAYDÉE; WOLFGANG e TELMA; BERGER e PATRÍCIA;  JUNQUEIRA; SAMUEL; CLÁUDIO; MILTON; FUJIE; CILENE; PAULO YASUDA; LECH; LALAINA; WALDIR; DÉCIO e a anfitriã, ANITA

A querida Anita, com sua generosidade, nos proporcionou muito mais do que um almoço de confraternização; ofereceu-nos rara oportunidade para a celebração de uma amizade perene, fortaleceu os laços que nos unem, aproximou os colegas. SUPERLATIVA, ANITA!

Alguns poderão dizer: “hoje vivo uma nova realidade, tenho amigos atuais”, “os tempos são outros”, “nossa vida de jovem, de universitário, já era”, “não se vive do passado”! Tudo bem… compreensível, não os culpemos – mas é frustrante, triste mesmo, aceitar esse afastamento, quando não, por vezes, até um certo desprezo pela nossa memória. Voltem, amigos, por favor!

ANTES QUE NOSSO TEMPO ACABE…

 

 

MUITO NAIS FOTOS NO LINK >> https://fmusp-turma52.com.br/festival-do-mar-na-anita-novembro-de-2018/

9 comments

  1. PEDRO TAKANORI SAKANE 26 novembro, 2018 at 07:41 Responder

    Berger tem toda razão. Nos não podemos viver do passado, mas viver recordando o passado´ é essencial. Afinal só quem teve passado, tem o presente. Já agredeci antes à Anita, mas volto a agradecer. A sua festa foi impecavel. Nossos parabéns. Muito obrigado também à turma que veio de longe para prestigiar o encontro. Foi legal ver a turma de “capiaus”
    Peço desculpas àqueles que não cumprimentei na saida. Acho que o teor alcoolico me fez deixar de dar um abraço de despedida a alguns e falar o quanto foi bom encontrá-los.
    VOLTAREMOS,

  2. ALZIRA TEIXEIRA CLAUZET 26 novembro, 2018 at 08:40 Responder

    Recordar é viver. E estar junto melhor ainda. Anita você nos proporcionou tudo isso e muito mais com a sua acolhida. Continuas ” SENSACIONAL”.

  3. Flavio Camargo 26 novembro, 2018 at 08:44 Responder

    O acolhimento que tivemos , foi sensacional , o carinho da anfitriã foi um balsamo para todos que na idade que estamos , estas demonstrações já vão se apagando .

  4. Bonno van Bellen 27 novembro, 2018 at 09:53 Responder

    Que pena que não nos foi possível participar! Outro compromisso há muito tempo assumido. A reunião que a Anita promoveu só pode ter sido formidável. Seu carinho e entusiasmo são enormes. Basta dizer que deixou no meu consultório o mimo que também entregou a vocês que lá estiveram. Obrigado Anita !!! Beijo meu e da Francine

  5. PEDRO DIRCEU ORTOLANI. 27 novembro, 2018 at 17:12 Responder

    Fui um dos ultimos a me inscrever para a Almoço FESTIVAL DO MAR
    Motivo aniversário de meu irmão que fazia questão de minha presença,..
    Após muita análise expliquei ao mano a importancia desse evento, ele ,
    meio constrangido. concordou e então , contratei um motorista e fomos
    a São Paulo.
    Obrigado Berger pela convocação insistente….
    OBRIGADO ANITA POR ESSA REUNIÃO MARAVILHOSA
    TUDO, TUDO ESTAVA D I V I N O
    ABRAÇOS

  6. ANITA LEME DA ROCHA SALDANHA 16 dezembro, 2018 at 20:45 Responder

    Meus amigos, meus irmãos da 52ª da FMUSP, a inspiração deste Encontro nasceu no instante em que o Berger me deixou em casa na volta do almoço do Cury em julho de 2018.

    Entendo que foi pela ânsia de não deixar acabar a magia, o calor e as delicias de continuarmos juntos

    Em cada noite eu planejava um detalhe, o cardápio, a cor da toalha, as flores brancas, a sobremesa mais gostosa, as entradas, a impressão da nossa Faculdade na caixinha dos camafeus, as mesas se redondas ou quadradas, se iria chover, se colocaria toldos

    Pedi conselhos ao Sergio, meu sobrinho; ele compreendeu meus desejos e disse “deixa comigo, tia”; e assim eu desfrutei deste Encontro desde julho até novembro, experimentando pratos e vinhos, mudando o siri, ajeitando o formato dos convites e cardápios, escolhendo as cápsulas do Nespresso.

    Só respirei aliviada quando em outubro o Berger veio fazer a vistoria do espaço e tomou um cafezinho comigo; a partir daí com a aprovação dele tudo me se tornou real; ia acontecer de fato.

    A festa começou com um telefonema bravo do Lech às 12:50h de 24/11 (o almoço estava marcado para 13h) me ordenando para descer naquele minuto ao salão de festas para receber os convidados que estavam chegando sem saber por onde entrar!

    Lech, em nunca tinha recebido antes; tive uma vida espartana; tentarei ser perfeita na próxima vez! Estarei a postos 15 minutos antes da hora marcada.

    Estou pensando num chá à inglesa no entardecer de um sábado na primavera de 2020 com direito a champagnes, vinhos, café e muita conversa como foi agora, todos falando ao mesmo tempo, todos se olhando com amizade, com amor, com idolatria, com vontade de que o outro estivesse bem, ouvindo pedacinhos da vida , valorizando as proezas uns dos outros e repartindo algumas tristezas, lamentando com saudades os que partiram

    No afternoon tea de 2020, o nosso Comandante Eduardo Berger não terá que roubar o microfone do saxofonista do Lech; ele terá um lugar apropriado só para ele no mesmo canto do salão, território que ele já demarcou, para nos interromper mil vezes, para nos ordenar mais vezes, para nos apontar os caminhos mais vezes, para nos exaurir do sentimento de união mais vezes, para suas palavras de ordem, para nos sentirmos seguros que somos um por todos e todos por um.

    Obrigada, meus irmãos da cidade de São Paulo, do Interior de São Paulo, do Paraná, das Minas Gerais, do Rio de Janeiro e de Brasília

    Obrigada, Berger, por não ter desistido de mim nestes 50 anos; repito, obrigada por lembrar-me que ainda estou viva; eu estava torpe, adormecida.

    Obrigada, Commander in Chief, por nos valorizar um a um, os de raça amarela, raça branca, católicos, judeus, budistas, protestantes, árabes e ateus.

    Nós o amamos, Berger

  7. Takanori Sakane 17 dezembro, 2018 at 07:46 Responder

    Formidável o seu comentário, Anita. Grande Berger. De sargento (pois pega muito no nosso pé), foi promovido a Comandante em Chefe. Mas bem merecido pois é um incansável e entusiasta promotor de eventos. Devemos a ele todos os nossos encontros que aconteceram no decorrer destes 50 anos Mas creio que ele tem sorte de contar com pessoas como você, o Nese, o Cury, o Ananias e outros que o ajudam nesta missão.
    Viva a 52ª.

  8. noragi 19 dezembro, 2018 at 15:32 Responder

    QUERIDA ANITA. È difícil encontrar um adjetivo que retrate aquilo que VOCÊ nos proporcionou. Sensibilizado com os comentários dos COLEGAS resta-nos dizer MUITO…………………………………………..OBRIGADO………………………………………………………………………………………………………………..

Leave a reply