quarta-feira, junho 19

SAUDADES

22
622

Esta é a página que gostaríamos de não ter, na história da turma, mas a vida é assim – tem começo, tem meio e tem fim – Cronos é inexorável!

Daí nossa constante convocação: “que não se percam as oportunidades dos encontros, antes que nosso tempo se acabe”…

Deixe uma mensagem, que faça lembrar um colega querido: em nossos encontros, ele comparece apenas na SAUDADE

============================================================

“Não deixe de ter pessoas ao seu lado por puro medo de ser feliz.

A única falta que terá será a desse tempo que, infelizmente, nunca mais voltará.”

(Mario Quintana)

============================================================

22 comments

  1. Carlos Roberto Martins 30 julho, 2020 at 00:04 Responder

    Hoje, ainda bem cedo pela manhã, recebo a noticia do falecimento do Toshio. Isto desencadeou em mim algumas reflexões que gostaria de compartilhar com todos. Em nossa juventude, e aqui falo especificamente de nossa convivência na faculdade, a energia frenética própria da idade, a somatória de inúmeras e novas experiências excitantes que se repetiam sem parar, a sensação, à época, de uma vida longa, cheia de aventuras e conquistas, a transitoriedade, ou melhor, a rotatividade dos colegas mais próximos, ora das panelas dos primeiros anos, ora dos esportes, do Show, do internato e da Residência, tudo isso a meu ver não contribuia para um conhecimento mais profundo de nossos queridos colegas, de sua realidade de vida fora dos portões da Escola, suas necessidades, muitas vezes até de suas carências. Seria isto próprio da juventude cheia de sonhos e devaneios ? Nossos amigos psiquiatras podem elucidar a questão. Vocês já repararam quantos que estudaram conosco, presentes o dia todo nas salas de aula, nos laboratórios, no Hospital, e com os quais pouco conversamos em 6 anos de curso? E na maioria das vezes ou conversas superficiais ou ligadas a alguma atividade de que participássemos em conjunto. Em especial, lembro que o contato com as colegas era mais restrito ainda, nós curtindo a Sala do Sono, e elas confinadas no DF. É inacreditável, mas tem colega que unicamente cumprimentávamos, e não sabíamos nada de sua vida!
    Se pudéssemos voltar, com pouquinho mais de maturidade, de real interesse pelo outro, como seria diferente, pelo menos para mim, e talvez não tivesse motivo para escrever isto que me dói na alma. Saudades….

    • FLAVIO SOARES DE CAMARGO 30 julho, 2020 at 11:20 Responder

      Olá Martins , o TOSHIO , morou comigo algum tempo , e realmente esta sensação de isolamento de alguns colegas , existiu realmente .
      Porém com outros tivemos um nível de afetividade e companheirismo intensos . A FMUSP não dava trégua para nós em ano algum
      apenas no 5o ano parece que era uma pausa necessária para depois enfrentarmos o internado e residência .

  2. Eduardo Berger 20 janeiro, 2021 at 11:52 Responder

    Yoshihiro Iriya, o nosso Sílvio, nunca foi chamado de Véio… mas tinha poucos meses menos que o Macedo. E dele, a mesma bravura! O sonho de ser médico materializou-se graças a ela.
    Sua história de vida merece ser contada e tornada perene neste site (sua filha Akemi me prometeu que enviaria).
    De responsável por imprimir as apostilas do Curso 9 de julho, a ser estimulado pelo Prof Geraldo Camargo de Carvalho a lá estudar, e entrar na FMUSP, foi a realização do “Pequeno Samurai! Como descendente daqueles bravos, foi leal ao professor, mantendo-se no “Nove”, quando todos debandaram, atraídos pela fortuna do Di Gênio, quando da criação de seu império (Objetivo /UNIP).

  3. eduardo berger 21 janeiro, 2021 at 22:11 Responder

    Patricio Stávale Malheiro: sua morte prematura (56 anos) entristeceu-nos ao extremo – que descanse em paz. Foi um grande amigo, e um notável parceiro nas “bolações” de quadros e músicas para o SHOW MEDICINA! Tinha um senso de humor incrível, um “sacador” de primeira! Conto um caso emblemático desse Mermãozinho querido e saudoso!
    Leiam e comentem… é só clicar aqui https://fmusp-turma52.com.br/2021/01/21/o-humor-do-nefrologista-por-eduardo-berger/

  4. EDUARDO BERGER 15 agosto, 2022 at 23:58 Responder

    Mais uma vez, dolorosamente, cumprindo a tarefa que me imponho, atualizei este post, que nosso site adoraria não existisse (*)
    Ao final da tarde desta segunda feira, foi-se o menino Lech. O culto, sagaz e, por vezes, rabugento, Lech!

    (*) … a cada vez que o faço, mais me convenço da extrema necessidade de ter alguém que me substitua, quando eu faltar…

  5. Flávio Soares de Camargo 17 agosto, 2022 at 10:58 Responder

    Aos que se foram que nos aguardem, nosso tempo aqui agora é curto; tentemos viver aqui de um modo manso, afetivo, evitando ao máximo os conflitos que se sucedem.
    A tolerância exercida ao máximo, para termos a paz do trabalho feito.

  6. Takanori 17 agosto, 2022 at 11:03 Responder

    Quando decidi ser médico, achava que poderia vencer a Morte.
    O tempo fez-me ver quão errado eu estava.
    Ver parentes, amigos e colegas irem embora, faz a gente perceber quão impotentes somos.
    O xintoísmo me conforta muito. Vamos nos encontrar no outro mundo. Daí, poderemos corrigir erros que cometemos nesta dimensão.
    Vamos conversar mais, ver-nos mais, rir e chorar mais com os próximos. Aliás, por que não fazemos também agora?

  7. EDUARDO BERGER 17 agosto, 2022 at 11:18 Responder

    TRANSCRITO DESDE AS REDES SOCIAIS EM 15 DE AGOSTO DE 2022:

    Hoje perdi um grande amigo. Dr. Lech Michal Szymanski
    Provavelmente o amigo que eu mais vi e convivi nos últimos 10 anos. Parceiro de almoços, cafés, longas conversas sobre tudo e sobre o nada. Muitas risadas, gargalhadas. Algumas divergências, como só grandes amigos se permitem. Ingênuo, mesmo aos 75 anos, uma das melhores, mais dignas, mais honestas pessoas que eu conheci.

    CRM: 15458. Formado há mais de 50 anos na 52ª turma da Faculdade de Medicina da USP.
    Oftalmologista ético e homeopata. Estudioso. Até hoje participava de reuniões científicas, cursos, grupos de discussão.
    E como falamos sobre os rumos tristes dessa nossa tão atacada Medicina! Essa mesma Medicina que nós cursamos e exercemos com tanto amor.

    Lech, palmeirense de estirpe (discordávamos e conversávamos a respeito também de futebol – eu torço para o Santos.
    Acompanhamos nossas trajetórias de vida, com altos, baixos e médios.

    Hoje, esse plano perde uma presença física com uma alma imensa, de uma bondade sem definição. E os céus anoitecerão com mais uma estrela do bem, e, se você olhar agora para o alto, provavelmente a mais brilhante.

    Fique em paz, meu amigo.
    Obrigado por tudo.

    Desculpe qualquer coisa e o mau jeito dessa mensagem. Mas foi o que eu consegui na emoção do momento.

    Cabe um agradecimento muito especial à equipe que o assistiu na UTI da Beneficência Portuguesa, onde ele internou há 10/11 dias, e aconselhado também por outra grande amiga e profissional. Dra. Anita Saldanha.

    Até sempre. 
    Moises Chencinski, pediatra e homeopata   

  8. Eduardo Verani 7 setembro, 2022 at 21:33 Responder

    Quantas estrelas brilharam no céu da 52ª. Nuvens cobriram muitas delas, mas seu brilho, intenso, persiste nos nossos corações, nas nossas mentes.
    Saudades de vocês, queridos Ranoya, Patrício, Waldir Cipola, e todos os que passaram pela nossa vida acadêmica na Casa de Arnaldo que, com muito orgulho, podemos dizer também que é nossa casa eterna.

  9. admin 18 junho, 2023 at 16:50 Responder

    Fuçando em antigas postagem do nosso grupo do Facebook (https://www.facebook.com/groups/138450859566505) garimpei esta pérola:

    “A noticia de antes-de-ontem, da perda do Godoy, que era muito chegado a mim desde o cursinho me fez aderir ao nosso grupo, para superarmos em conjunto esta perda. Precisamos nos reunir anualmente, como fizemos em Guarujá. Abraços a todos queridos colegas de sempre”. (JC Japur Sachs – 18 de dezembro de 2011)
    Comentários:
    (a) “BALUARTE”, É ISSO AÍ! COMO O ANANIA FALOU: PRECISAMOS NOS VER, NOS ABRAÇAR, NOS “CURTIR” MAIS – NÃO PERDER NENHUMA OPORTUNIDADE DE DIZER E DEMONSTRAR COMO NOS QUEREMOS BEM… COMO SENTIMOS A FALTA DO CONVÍVIO, COMO A 52a ERA E É UNIDA! (E Berger)
    (b) “DÁ-LHE DE BICO”, JAPUR!!! VOCÊ TEM RAZÃO!!! BEM RECEBIDO EM NOSSA PÁGINA … ABRAÇO SAUDOSO!!! O CHEFE BERGER, COMO SEMPRE, TEM RAZÃO… (Masamiki Okayama)

  10. EDUARDO BERGER 19 julho, 2023 at 01:02 Responder

    Dolorosamente atualizo esta página:
    No dia 18 de julho de 2023 tombou mais um guerreiro, Marco Antônio Viegas Lobo o 26º herói da 52ª Turma.
    Que descanse em paz e sua memória seja abençoada.

  11. EDUARDO ROQUE VERANI 19 julho, 2023 at 11:55 Responder

    Perdi hoje um enorme amigo, meu confidente em tempos da faculdade.
    Marco sofria junto com seus amigos e se alegrava por eles .
    Ímpar, bom, correto, justo, crítico muitas vezes, para corrigir rumos.
    Quantas viagens fizemos juntos, carnaval em Recife, aventuras nas estradas do nordeste, carnavais em Assis, noites frias na fazenda de Londrina, muitas noites ouvindo músicas, sonhando com a vida, com o futuro.
    Não perdi só um amigo, perdi um irmão, com quem eu sempre pude contar.
    Quando se perde um amigo assim, perde-se um pedaço do coração, um pouco de sua alma.
    Vá em paz meu querido amigo, nos encontraremos um dia.
    Meus sentimentos à Vera e aos seus filhos.
    Ficaram grandes lembranças, de muitas alegrias.
    Marco será eterno e presente sempre, em nossas lembranças. (18-julho-2023)

  12. Lalaina 19 julho, 2023 at 12:55 Responder

    Saudade, Lobo, de nossa cumplicidade desde os bancos acadêmicos. Obrigado por todos os bons momentos que vivemos. Descanse, meu irmão.

  13. eduardo berger 5 abril, 2024 at 16:26 Responder

    Um grande homem num pequeno corpo. Uma mente privilegiada dotada de enorme capacidade de aprender e apreender.
    Assim foi nosso Véio Macedo, em suas quase 10 décadas de vida. Descanse em paz querido amigo e que seja abençoada sua memória.

  14. Eduardo Verani 5 abril, 2024 at 17:18 Responder

    Triste foi esta amanhã: o grande Macedo nos deixou.
    Foi-nos um exemplo de vida, de esforço, dedicação, perseverança.
    Viveu plenamente suas nove décadas e um pouquinho mais. Mereceu a vida que teve.
    Ficamos sem um grande colega, assim como ficamos sem os outros tantos que também partiram.
    Caro amigo, dê um abraço enorme e cheio de saudades nos outros queridos da 52ª que já se foram.

  15. Eduardo Berger 26 abril, 2024 at 11:32 Responder

    Meu estimado, admirado e saudoso amigo João Carlos
    Não sei quem, ou se alguém, lerá minha mensagem… seu filho ou a querida Marilda?
    Vc partiu para a outra dimensão deixando lembranças marcantes em todos nós de sua turma da Faculdade.
    Pureza, lealdade e generosidade sempre foram suas marcas – e o “gor de bico” que vc marcou, num canhão desde a sua intermediária, nunca será apagado de nossas retinas!

    Vá com D’us Baluarte e que sua memória seja abençoada!

  16. EDUARDO BERGER 30 abril, 2024 at 20:37 Responder

    Partiu o Bonno – filho de uma heróica famlia Batava, tornou-se o 29º de nossa turma a realizar sua última jornada.
    Deixou-nos um legado notável e uma saudade imensa.
    Que seja abençoada a sua memória e que descanse em paz.

  17. admin 1 maio, 2024 at 20:23 Responder

    Imensa e dolorosa perda para a BP…
    Deixará muita saudade. Meus sinceros sentimentos a amigos e familiares.
    Ele foi um grande… admirava muito o Bonno!
    Ensinava mesmo quando (ou até mesmo principalmente) não queria…
    A elegância, a educação, a competência… a humanidade.
    Assim como todos aqui, sentirei muita falta dele

    Notas postadas pelo Diretor Executivo da BP, Dr Renato Vieira Psiquiatra de formação.

Leave a reply