quarta-feira, fevereiro 28

AULA DE ORTOPEDIA NA C.O.T., Roberto Anania de Paula

1
483

Em 1966 iniciamos, no período vespertino, o curso de Ortopedia e Traumatologia na C.O.T.

O Professor João Alvarenga Rossi, já admirado pela turma pelo seu jeito educado, gentil, bonaçhão e sobretudo muito competente no estudo da coluna toráco-lombar, foi o responsável por este tema e discorreu um bom tempo sobre aspectos funcionais e médicos pertinentes.

Com exibição de radiografias, chamou a atenção para aspectos anatômicos, patológicos, traumáticos e funcionais, ressaltando sempre que uma boa história e um bom exame clínico e neurológico eram fundamentais nestes últimos.
A assim chamada lombalgia, queixa das mais frequentes, na maioria das vezes era fruto de uma postura viciosa, indisciplina no levantar e carregar pesos, falta de alongamentos e também fraqueza de grupos musculares antagônicos no equilíbrio da coluna. Reafirmou de forma inequívoca, mais uma vez, que em se tratando de problema funcional, o exame clínico, muscular e neurológico já referido, era diagnóstico e orientador da terapêutica.

A platéia, já ultrapassada aquela sonolência pós-prandial, ouvia atenta os ensinamentos, mas o “minerin”, sentado nos lugares mais baixos do anfiteatro, não escondia sua ansiedade e logo que o mestre perguntou se alguém tinha alguma dúvida, levantou a mão.

Com sua habitual educação o Dr. Rossi escutou:
“Professor, acho que este é meu caso, dormi meio encolhido, meu colchão é bem molinho e estou com uma dor nas costas do lado direito”.
“Ótimo meu filho, sua pergunta veio a propósito e acho uma boa ocasião para examiná-lo”.

Resumindo, o mestre fez toda a propedêutica e concluiu que havia escoliose lombar e déficits musculares, próprios de postura inadequada e orientou o colega.

Durante a noite nosso “minerin” não se sentiu bem. A dor aumentou e surgiram náuseas e febre. Atendido no PSC, foi submetido à apendicectomia por apendicite retro cecal bloqueada.

O Professor João Delfino Michaelson Bernardo de Alvarenga Rossi, homenageado da nossa 52a Turma da FMUSP, faleceu no dia 11 de janeiro de 1994, deixando um enorme legado médico e acadêmico.

O apêndice do nosso querido Murílo Pereira Coelho foi para o “balde” na ocasião. Posteriormente, a lombalgia só reaparecia quando ele pensava na medalha perdida no atletismo da Mac-Med. Mas isto é história para outra ocasião.

“DANS LA MÉDICINE COMME DANS L’AMOUR NI JAMAIS , NI TOUJOURS”, dizem os antigos.

1 comment

  1. admin 22 março, 2018 at 11:45 Responder

    Caro Anania: Já não me lembrava dessa história. Mas me lembro muito bem de nosso querido mestre, ele, também, mineiro de Pouso Alegre. (Murilo Pereira Coelho – 2017)
    ————————————————————————————————————
    Naquele tempo ñ tinha tomo, US nem RM. (Joel De Mello Franco – 2017)
    ————————————————————————————————————
    Lembro-me da aula em que servi de modelo para o nosso querido professor João Rossi mostrar algum detalhe anatômico. Paguei um mico pelo bem da nossa turma. (Decio Kerr Oliveira – 2017)
    ————————————————————————————————————
    Ainda bem que não foi o Campos Freire ou o Dr Daher Cutait a pedir que você mostrasse um detalhe anatômico em relação à especialidade deles! (Eduardo Verani – 2017)
    ————————————————————————————————————
    Beleza! Bob Nana querido!! Parabéns!!! (Roberto Cury – 2017)

Leave a reply