domingo, julho 14

HOSPITAL AUXILIAR DE SUZANO E A 52a TURMA, Roberto Anania de Paula

1
208

O Hospital de Suzano funcionava como retaguarda do HC. Para lá eram encaminhados casos crônicos de patologias diversas e muitos pacientes se encontravam em estágio terminal de doenças oncológicas. O Diretor Clínico era um médico japonês, curiosamente chamado Isaac, e morava na cidade. Por vezes, os pacientes do HC aguardavam dias por uma vaga em Suzano e assim seu leito não podia ser usado por um novo paciente.

A visita diária era feita por um dos médicos residentes do HC. Competia ao Residente Chefe organizar a escala. Assim, na minha gestão, incluí alguns estagiários e solicitei à CASE (Comissão de Administração do Serviço de Estagiários), que fizesse uma escala rotativa com todos e rubriquei a dita cuja, inclusive me incluindo. Deu em média dois dias por ano para cada um.
E cada residente tinha uma maneira de agir. Pessoalmente, via uns 20% de um total aproximado de 120 pacientes, pré selecionados pela enfermagem. Em relação aos demais repetia a prescrição. Cheguei a ver paciente tomando 40 dias de quemicetina. Vez por outra atestávamos e assinávamos um óbito. Na maior parte do tempo, estudávamos, descansávamos, assistíamos tv. Alguns mais assanhados e que tinham carro, davam uma paquerada na cidade. Evidentemente com vista grossa das enfermeiras. Muitos tiravam o dia para lavar e polir seus “bólidos”.

No quarto do plantonista o bicho pegava. As paredes todas escritas com o que se podia imaginar, mas sempre “respeitosamente”. Poesias, frases, desenhos, datas, nomes, etc. Até dentro do armário de madeira tudo escrito.

Na minha primeira passagem, uma frase me chamou a atenção no armário : “AQUI DORMIU LAMARDO” 25/12/1970. Boa Lamardão. Para um colega circunspecto, calado, de pouca prosa falou tudo!! 52a presente! No dia de Natal!

O fato é que a escala era aleatória, por ordem dos arquivos da CASE. Eventualmente trocas ocorriam, mas pelo que sabíamos não por venda de plantões. O Lamardo era tão, tão desligado, que muitas vezes tinha recado da família na portaria da residência, solicitando passar na sua casa, pois fazia tempo que não aparecia.

No fim de 1971, lá pelo dias 28 ou 29, me coube a última e derradeira “visita” a Suzano. Como de rotina uma revisão nos escritos. E abrindo o armário em destaque: “A VOLTA DE LAMARDO” 25/12/1971. Para quem o conhecia mais de perto como residente da 3a CC, dei uma bela gargalhada.

Por isto que afirmo: “TODOS JUNTOS NA 52A TURMA FMUSP”. Peço, ainda que não deixem de acessar:
www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2015/12/1721292.
Trata-se de uma reportagem publicada na Folha de São Paulo. Fiquei emocionado.
Nosso querido José Roberto Lamardo faleceu em 20 de Dezembro de 2015.

——————————————————————

Imagens de 1984, no nosso encontro de 15 anos de formatura, que devemos ao saudoso JR Lamardo. Que descanse em paz!

1 comment

Leave a reply