quarta-feira, fevereiro 28

TRIBUTO AO PAI MASAMIKI, Marcio Okayama

14
368

Entre a oração no jardim, a nudez e o caos…

Algumas pessoas podem estranhar a atitude inusitada que estou tendo, em finalizar três CDs autorais distintos, os quais aparentemente não tem conexão entre si: um álbum de new age inspirado em temas japoneses, o “Zen Garden”, um álbum quase acústico, o “Naked Zen” e um experimental pesado, na onda que as pessoas costumam associar ao meu nome, intitulado “Crônicas do Caos”.

Coleções de fragmentos de muitos anos, finalizadas e esculpidas como trilha sonora do início e final de um ciclo.

Ciclo que teve início precisamente no dia 24 de novembro de 2014, data que meu pai sofreu um AVC gravíssimo, de consequências arrebatadoras e sem volta para todos que estavam próximos. A bomba estava deflagrada e o caos se fez presente.

Mantive este fato (com o peito, bestamente, estufado) longe de todas as redes sociais que estou presente; principalmente por não me sentir a vontade e querer preservar minha vida pessoal ao máximo; da pessoa pública do professor, guitarrista e: aham… artista (a le leque…)

Quem me conhece a fundo, sabe que possuo uma natureza extremamente reservada, contraditória ao meu jeito engraçado e filosófico de dar aula e quebrar guitarras (sonhando ser o narigudo de Sheperds Bush) no palco; muitos falam que a coisa tem de ser tirada da minha boca a fórceps (por sinal nasci na base deste… rs).

Se vc acompanhou e soube deste drama que eu e minha família atravessamos, sinta-se honrado: vc está num ciclo super restrito, que é amado tanto quando todos os meus brothers e sisters que estão espalhados no FB pela rede e pela vida.

O ciclo em questão terminou há 20 dias, onde meu amado pai, grande e mais que presente companheiro de encarnação encontrou descansou após quase dois anos de desesperador coma vigil, onde pouco se pode penetrar e entender da sua bela, complexa e forte personalidade; um médico que curava o físico e a alma de seus pacientes. Um pai único, sendo que a grande maioria de meus colegas músicos o conheceu carregando meu amplificador e tendo ímpetos paternos, como fingir ser militar na porta de uma casa noturna, para que a banda conseguisse entrar mais rápido para o round: checa… no La Ibiza, idos anos 90; fez cirurgias extras para me dar uma guitarra importada, comprou todos discos que precisei, do Venom ao Roy Buchanan e dava apoio total e irrestrito a minha carreira …..

De quase dois anos de silêncio e olhar perdido, ficou o presente de seu miraculoso, iluminado e incógnito sorriso de despedida no dia dos pais.

Dois anos onde tudo foi chacoalhado, desmantelado ao som da sinfonia do caos e desespero que se alternava com os pequenos grandes milagres que os santos e anjos (invisíveis e mascarados como gente) apresentavam.

A vida é bela… mesmo na aparente incongruência e dor.

Uma lição básica que fica, mesmo nas horas mais escuras, sempre dar o benefício da dúvida para o amanhã; ele sempre nos surpreende. Para melhor.

Talvez seja a maior lição de todas.

Esperar e lutar para preencher os vazios e deixar as cicatrizes fecharem.

Apenas o Grande Maestro lá de cima, reorganizando o tabuleiro de xadrez cósmico, sempre para melhor

Mais que tudo, içar a vela e ficar a postos no leme, pois os ventos são sempre imprevisíveis. Cabe a nós acharmos beleza e aprendizado no Caos… Estes sempre existem.

E Deus é uma constância… por mais que muitas vezes duvidemos

Paz e luz a todos.

Bijus!!!!

Marcio Okayama  (25/11/2016)

Marcio Okayama e sua guitarra do Sol Nascente

==================================================================================================

ADENDO DO EDITOR (IMAGENS DO AMIGO INESQUECÍVEL)

BAILE DO CALOURO 1964

 

PRESENÇA MARCANTE NOS ENCONTROS DE GERAÇÕES

14 comments

  1. eduardo berger 23 março, 2018 at 13:43 Responder

    Comovente e significativo relato do Marcio, filho único do inesquecível e querido Masamiki.
    Percebe-se a sutileza de seus sentimentos – um contraponto de emoções latinas e serenidade oriental, que se mesclam em sua alma de artista – nos traz a clareza do que é o amor do filho pelo seu pai e quanto dói a sua perda.

    Descanse em paz meu irmãozinho japonês e vai aí uma amostra da arte do seu garoto:
    https://102phim.com/video/m4WQBagtKsw/marcio-okayama-angel-morning-star.html

  2. Claudio Rossi 16 abril, 2018 at 20:39 Responder

    Para quem teve a sorte de conhecer e conviver com o Masamiki ler o que o Marcio escreveu é um consolo e um prazer. O nosso querido e já saudoso colega conseguiu passar para seu filho o amor, a energia e a vontade de viver. Muito obrigado Marcio por compartilhar conosco seu sentimento, sua criatividade e sua coragem de ser você mesmo. É de fato uma honra para nós.
    Abraço forte!
    Claudio

    • Marcio Okayama 25 agosto, 2018 at 20:47 Responder

      Eu que agradeço o prestigio de terem postado esta carta aberta aqui, neste espaço…. muita luz e todos!
      Algure!
      P:S; A honra é toda minha em dividir e compartilhar esta egregora de cura e luz…vital nos tempos que vivemos….

  3. Joel Faintuch 21 abril, 2018 at 17:32 Responder

    “Hoje choramos por um colega. Amanha o sino dobrará por nós.
    Envelhecer é bom, mas é um esporte radical, de alto risco.
    Que o destino seja benigno para todos nós”.

  4. eduardo berger 6 abril, 2021 at 11:57 Responder

    Uma amiga, colega de turma, inquiriu-me se Masamiki tinha uma esposa.

    Sim, foi casado com Ana Maria, sendo seu namorado desde tempos anteriores à Universidade.
    Em nosso Baile do Calouro, foram fotografados juntos, dançando… dois pombinhos! (https://fmusp-turma52.com.br/baile-do-calouro-noite-de-maio-1964/)

    Teve com ela um único filho Marcio, autor dessa significativo e comovente postagem – ele é professor de guitarra, um virtuose, muito reconhecido, inclusive no exterior!

    Ana Maria foi uma guerreira! Sua nora Maria Regina, outra… Márcio Okayama dispensa comentários – vale a pena conhecer sua comovente relação com o pai, além de sua música e da inspiração que tem nas coisas do “sol nascente”

    • DECIO OLIVEIRA 6 abril, 2021 at 12:15 Responder

      Também a conheci quando fui visita-lo numa casa de repouso que o maninho Berger me indicou.
      Uma senhora muito simpática e delicadíssima nos cuidados ao nosso amigo

  5. eduardo berger 7 abril, 2021 at 11:27 Responder

    Sobre o “Encontro de Gerações”:

    Evento promovido anualmente pela AAAFMUSP, algo único, que eu saiba, em todo o mundo: uma faculdade que abre suas portas a TODOS SEUS ALUNOS e ANTIGOS ALUNOS, a custo zero, para churrasco e outros comes e bebes.
    Perdeu um pouco a graça há uns 6 anos, com a proibição de servir chopp, e em 2020, perdeu tudo com a pandemia. NÃO HOUVE!
    Vale lembrar que a AAAFMUSP também oferece o brakfast do Jubileu de Ouro – todos nos lembramos…. já com saudade!

  6. Roberto Anania de Paula 22 fevereiro, 2023 at 08:49 Responder

    Há mais de 6 anos e 6 meses, a ausência do Masamiki se faz presente, na comovente declaração de amor de seu pai Marcio Okayama, registrada neste Site, pelo incansável colega, amigo e querido “Parceirinho” Eduardo Berger e que tive a oportunidade recente de reler.
    Em outubro passado, após 2 anos de ausência pandêmica, o ” Encontro de Gerações ” aconteceu e a 52a se fez presente também com a lembrança do querido Masamiki Okayama. E assim a 52a turma FMUSP permanece SEMPRE JUNTOS !

Leave a reply